terça-feira, 6 de fevereiro de 2007

As guerras

A propósito do «fatídico mês de Janeiro» para os Kaluandas descrito pelo João Coimbra, vieram-me à memória uns versos dedicados à Juventude Angolana:


GUERRAS
(dedicado à Juventude Angolana)

A sangrenta guerra terminou por fim!
Acabaram-se as mortes e extirpações
Estúpidas e inúteis, começando assim
Uma nova era para as jovens gerações,

Que vai ser muito à custa doutras guerras,
Provavelmente mais violentas e agressivas
Onde não irá morrer ninguém em explosivas
Confrontações, como se fosse a luta de feras.

O vício doloroso adquirido vai ser combatido,
As podres feridas mentais vão ser cicatrizadas
E as riquezas não mais irão ser uni-exploradas.

A miudagem vai compreender o que evoluído
Quer dizer, pegando em sebentas arruinadas
Para fazer crescer as cidades tão destroçadas.

Estoril, 7 de Janeiro de 2006

Francisco da Renda

3 comentários:

LOengo disse...

Kambuta
Obrigada por partilhares os teus escritos,há empre um pedacinho que me toca.
Beijo gordo
Dina/LOengo

Chá de Lucia Lima disse...

"A miudagem vai compreender o que evoluído
Quer dizer, pegando em sebentas..."

.....Tem que ser mesmo por aqui: pegar naquela "miudagem" e fazê-los compreender que NADA há a lucrar coma guerra! Sebentas, muitas sebentas vão ser necessárias até se chegar ao pretendido -- à Paz!

kambuta disse...

Dina, eu é que fico feliz por os leres. Um abraço.

Counter II

Counter