terça-feira, 11 de março de 2008

O meridiano


Corta a terra ao meio, divide-a em duas metades como uma laranja pronta a ser espremida.
Mas, o meridiano, este aqui que eu não deixei escapar entre Zaragoça e Lérida, o de Greenwich, com os seus 180 graus do lado de cá e os outros 180 graus do lado do anti meridiano, tem muito que se lhe diga. Por causa dele temos de mexer nos relógios e mudar horas, por causa dele temos de fazer loucas contas de cabeça para sabermos que horas são em Timor e, se tivermos de explicar isto a uma criança - olha querida lá já estão em amanhã - a coisa complica-se.
É sempre bom passar o meridiano, este e todos os outros. Sou, aliás, de opinião que deviamos ter mais meridianos à mão de semear para os podermos passar sempre que nos apetecesse. Os 24 existentes graças aos senhores que andam a estudar estas coisas desde há séculos podiam subdividir-se em outros tantos, aliás, até se dividem, é só querermos imaginá-los em grupos de sessenta nos intervalos dos grandes. Assim, seguramente arranjaria um meridiano da Lourinhã que bem merece e até lhe ficava bem uma placa à entrada - Lourinhã, terra dos dinossauros, da loba, da aguardente da Lourinhã e do meridiano - e os papalvos como eu parariam o carro e fariam fotos souvenir para mostrarem lá em casa e dizerem às criancinhas - olha querida, quando fizemos esta foto (souvenir) estavas tu a sair da escola; mas eu estava com vocês no carro!!!; sim, mas isto é só para fazer de conta!; ahhhhh!!!!

2 comentários:

lumma disse...

Adorei o seu blog, vou voltar mais vezes. Te espero no meu cantinho. Bjs azuis em seu coração.

Lumma disse...

Vim agradecer a visita no meu cantinho e espero que possamos ser amigos. Vou te linkar no meu blog tá, assim estarei aki muitas e muitas vezes pra ler esses textos maravilhosos e tb sorrir com alguns dizeres seus. Bjs que sua semana seja repleta de pura felicidades. Gostaria de saber em qual cidade tu vives.

Counter II

Counter