sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Vida e Morte


a morte é algo importante mas não tanto como a vida....
A vida é que é importante....
...a morte só o é porque termina com a vida. É mais forte, mas também é mais curta....vive-se mais (em tempo) do que se morre, isto é,
não dá para gozar, para aproveitar....a vida aproveita-se, goza-se....CARPE DIEM não é?
A morte é final, definitiva, sem apelo...morre-se e, pronto...acabou....quem fica é que fica a sofrer...quem morreu já não se importa com nada...."et pour cause" !!!!!
A vida é coisa bem mais complicada, porque está na consciência....não se coloca aqui a questão dos em estado de coma ou dos doentes incapazes de usarem o cérebro.....vive-se porque é para isso que se nasceu, há um prazo de validade, morre-se quando se esgota o prazo...
Nunca se sabe quando se vai nascer e nunca se sabe quando se vai morrer, mas, a morte, pode ser programada - amanhã, às 20.30, vou morrer....e amanhã a essa hora, faço qualquer coisa que me acabe coma vida, sei lá, um tiro, um veneno, uma punhalada, um afogamento com uma enorme pedra atada às pernas, um mergulho para debaixo de um comboio, um assalto a um banco à espera de um "sniper" misericordioso...pode-se morrer por marcação,. ..mas não se escolhe nascer ....
o chato mesmo é nascer-se com dor e morrer-se com dor...não tem piada nenhuma...
O nascer não depende do nosso controlo, é assim e pronto, sai-se daquele ninho quente para se entrar num ambiente verde ou azul, conforme o hospital, às vezes com um monte de tubos ligados ..
Mas, morrer, devia ser por escolha própria....excepto aquela morte estúpida do acidente de viação, ou da doença terminal...
Muitos costumam escrever nos seus diários que gostariam de morrer ... "de morte natural". Mas isso não é uma redundância? A morte é a coisa mais natural que temos na vida,.,.. ou não será?
Pesando bem os prós e os contras de viver e morrer, ...
sou levado a crer que a Morte ganha à Vida ...
Não lhes parece? Quem acaba com quê?...
É a vida que acaba com a Morte? Não, quando muito, acaba NA Morte.
Mas é a Morte que acaba com a Vida.
Um a zero para a Morte.

7 comentários:

lili laranjo disse...

li e em apontamento deixo:


Nostalgia

A vida e a morte...
Viver ou morrer...
Mas não poder escolher...
Não há dia, não há hora...
Vamos viver e esquecer..
Que também há o morrer...

22-08-08
Lili Laranjo

marita faini adonnino disse...

Vivir-morir-he aqu� los dos momentos terribles a que estamos condenados. Si de algo estamos seguros es de que moriremos. All� reside el gran drama del hombre.
Pero termina definitivamente el hombre con la muerte? Hay quienes dan razones muy valederas para pensar de que no es as� (aparte de la creencia religiosa). Te dejo dos ejemplos de poetas espa�oles ,alejados en el tiempo.
Uno es Quevedo ..."Alma a quien a todo un Dios,prisi�n ha sido.
Venas, que humor a tanto fuego han dado.
M�dulas que han gloriosamente ardido.
Su cuerpo dejar�n, no su cuidado;
ser�n ceniza, mas tendr� sentido.
POLVO SERAN, MAS POLVO ENAMORADO"
Y m�s convincente es Machado:
�y ha de morir contigo el mundo mago...?!
��Los yunques y crisoles de tu alma ,
trabajan para el polvo y para el viento? ".
Yo estoy segura de que no trabajamos para la NADA. �qu� opinan,ustedes, los lectores y colaboradores de este blog?

Mirabilis (ou Sherazade) disse...

Helder,
Gostei muito deste post.

Para dar a minha opinião, há tempos li um livro (A rapariga de roubava livros) onde a Morte é o narrador e nos vai contando do quanto determinadas vidas são mais difíceis de levar que outras, por serem de tal forma especiais.

Isto para dizer que acho que se vivermos uma vida oca, de estar por cá por estar e fazer porque os outros fazem, ou materialista, ou qualquer outro modo de existência estéril, a Morte ganha a vida porque o cômputo final é o "acabou-se o que era doce" e a Morte é que lhe pôs fim.

Mas se aproveitarmos o tempo que estamos cá para ser e fazer feliz, para cuidar da alma e alimentar o coração, deixamos tanto de nós e levamos tanto dos outros, que têm mais peso as coisas que ficam que o corpo que vai.

Como se cada um de nós tivesse a oportunidade de ser uma lenda “doméstica”. E acho que as lendas dão 1 a 0 à Morte :)

Beijinhos grandes,

Helder de Sousa disse...

Tal como nunca se obterá um acordo sobre fé, religião, política, também não se chegará a acordo sobre a Vida e a Morte. Depois de ler e reler o texto e as vossas opiniões, sou tentado a virar tudo do avesso e considerar a visão do assunto pelo lado da VIda no sentido em que, a Vida, no seu dia-a-dia, vai fintando a morte e obtendo créditos. Por aí também se chega a um lugar, mas, certamente, nunca a um consenso.

Helder de Sousa disse...

Tal como nunca se obterá um acordo sobre fé, religião, política, também não se chegará a acordo sobre a Vida e a Morte. Depois de ler e reler o texto e as vossas opiniões, sou tentado a virar tudo do avesso e considerar a visão do assunto pelo lado da VIda no sentido em que, a Vida, no seu dia-a-dia, vai fintando a morte e obtendo créditos. Por aí também se chega a um lugar, mas, certamente, nunca a um consenso.

Anónimo disse...

Já te mandei isto, mas não deixa de ser um comentário a esta tua maneira de pensar sobre a morte, por isso o reproduzo aqui:

Acho-te muito negativo.
Não vamos falar na morte controlada (suicidio), mas da
"morte natural", como tu dizes.
Creio que, quando se diz que se quer morrer de "morte natural", normalmente se está a pensar na chamada "morte santa".
Adormece-se ....e já não se acorda.
Isso é o privilégio de muito poucos.
Como é que dizes que no final de tudo as contas estão a favor da Morte?
Por acabar com a Vida?
É pouco para ganhar.
E depois, como te digo, a morte só nos leva quem nós queremos...
Nós, em vida temos a capacidade de falar com eles, de os lembrar, de os manter entre nós.
Se recebo resposta às perguntas que lhes faço?
Basta estar atenta aos sinais.
Já pensaste por que razão certas coisas nos acontecem, das quais nem devíamos sair, e, no entanto, aqui estamos, incólumes a tirar partido da Vida?
Será por acaso?
Será porque vamos buscar uma força que não sabíamos que tinhamos?
Donde virá essa força?
Será esse um sinal de que alguem olha por nós nesses momentos?
Não sei......
Aí já ganhámos uns pontitos à Morte, não????
Se a "tua" Morte, no final ganha um a zero à Vida,
para mim, a minha Vida já ganhou três a zero à Morte !!!!
Como vês o score é muito relativo.
Enquanto cá estiver, hei-de me bater com unhas e dentes, até ao tal dia em que me fartar e aí....deixo-a ganhar!!!
Será o fim? Acabou tudo?
Não sei.......
Será, talvez a minha vez de mandar os "meus" sinais para que, quem ficou, os leia.....
Terei, então, o gozo de saber que a vitória da Morte não valeu de nada.....

um beijo meu

Pitigrili disse...

Parabéns!!!
Enviei-te ontem à meia noite, mandei postais electrónicos, tentei telefonar, mas não te consegui apanhar...
Um grande abraço, companheiro
Piti

Counter II

Counter