quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Regresso à mediocridade




Antes de os Jogos Olímpicos 2008 , na fase preparatória, os portugueses foram convencidos pelas mais diversas formas de propaganda de que iriam viver muitos e felizes momentos de atletas lusos subirem ao pódio.


Com o passar dos dias, perante resultados que não correspondiam às expectativas geradas pelo orçamento de 15 milhões de euros (que só foi divulgado quando as interrogações começaram a surgir), começou a fixar-se sobre o tecto nacional uma pesada sombra de descontentamento, agravada por aquela outra, bem mais preocupante derivada do pesado endividamento das famílias portuguesas.


Se o futebol já não mitiga as ansiedades lusas viram-se então os holofotes para os feitos pessoais dos nossos atletas olímpicos na esperança de uma breve recuperação da auto-estima nacional.


Vanessa Fernandes, aquela menina de aspecto frágil e aparelho de correcção dos dentes, deu mais uma vez o seu contributo com o segundo lugar no triatlo feminino. Ao carregar sobre os ombros o peso dos numerosos títulos ganhos nos grandes encontros mundiais, Vanessa era favorita. Mas não aguentou a passada daquela australiana vencedora. Paciência, ficou-lhe a prata de honra e deu-nos uma grande alegria.


Rapidamente nos virámos, uma nação inteira, implorando em silêncio um milagre, para o nosso Nelson Évora do triplo salto. Que engraçada esta coincidência dos tris medalhados, tri-atlo, triplo-salto.


Com uma de prata e outra de ouro, suspeito que já não haverá ninguém com vontade de questionar os 15 milhões de euros que pagámos para a nossa representação olímpica.
E vamos ter assunto de conversa por um bom espaço de tempo. E o Governo agradece o bónus dado por estes atletas por poder usufruir de mais uns tempos de desvio colectivo dos reais problemas do país. Os 15 milhões acabam por representar um bom negócio.
Somos bons corações, perdoamos depressa, retratamo-nos nos feitos isolados de alguns seres excepcionais e regressamos à nossa mediocridade passada a euforia.


(fotos Wikipedia)

2 comentários:

lili laranjo disse...

GOSTEI DESTAANÁLISE.
SOMOS ASSIM HÁ DOIS DIAS ERA MAU HOJE É TUDO COR DE ROSA.
MESMO QUEM ONTEM SE DEMITIA .HOJE FICA.

APESAR DE NÃO ESCREVER VOU LENDO...E AGORA ANDO NA FASE DE PAIXÃO COM O MEU BLOGG...
NOS BLOGES DOS MEUS AMIGOS POSSO PÔR O TEU?

CONTINUAÇÃO DE SUCESSO...
UM BEIJINHO PARA TI...

Anónimo disse...

Há uma coisa que me intriga !
Gastaram 15 milhões de euros e tinham que trazer para casa 4 medalhas e 100 pontos .
Mas....e os outros países não contam.
Estas coisas "são a pedido". Afinal as máquinas humanas não podem falhar?
A Naide, que para mim é sempre candidata ao podium, naquele dia falhou e lá se foi a medalha.
É sempre a mesma conversa, quando se ganha são uns campeões, quando se perde são umas bestas.

Counter II

Counter