terça-feira, 25 de maio de 2010

Muxima, um lugar mágico

Muxima é um lugar mágico. A palavra quer dizer coração em kimbundu, a lingua do Bengo. Gosto de ir a Muxima, sentar-me na igreja do século XVI, e ficar ali sem olhar para o relógio. É o maior lugar de culto católico de África. Gosto de ir a Muxima, ficar a falar com as crentes, sentadas no exterior à sombra de frondosas mulembeiras. São elas que cuidam da igreja.
Descalçam-se à entrada e fazem a distância entre a porta e o altar, de joelhos, rezando. Outras, postam-se junto do altar e "conversam" com a imagem da santa. Mostram oferendas, fotos de entes queridos. Falam como se falassem com a mais íntima das amigas. Mas não se ouve o que dizem.
Gosto de ir a Muxima. Ali, respira-se paz, conforto interior, sensação de bem-estar. A igreja é luminosa e arejada, a porta principal e as laterais estão sempre abertas. É um lugar para se estar.
É preciso ir a Muxima uma vez na vida. Mesmo que não se seja praticante. Mas ir depressa porque, qualquer dia, erguem lá um santuário gigantesco, com projecto já aprovado como se quisessem transferir Fátima para ali.
A senhora da Muxima não vai gostar de mudar de casa.














1 comentário:

Higorca Gomez Carrasco disse...

Tiene que ser un lugar precioso viéndolo a través de tus fotos, no me extraña que te guste tanto ese país, debe ser algo interesante, nosotros conocemos dos personas especiales, convivimos con ellas en Pamplona en momentos un poco duros, ellas hacían que los días pasaran más rápidos.
Un abrazo, es un placer poder leer aquello que tu escribes.

Counter II

Counter