sexta-feira, 18 de setembro de 2009

CÍCERO

SEM COMENTÁRIOS


Socorro-me da Wikipédia para conhecermos melhor este senhor.

Marco Túlio Cícero, em latim Marcus Tullius Cicero (Arpino, 3 de Janeiro de 106 a.C.Formia, 7 de Dezembro de 43 a.C.), foi um filósofo, orador, escritor, advogado e político romano.

Cícero é normalmente visto como sendo uma das mentes mais versáteis da Roma antiga. Foi ele quem apresentou aos Romanos as escolas da filosofia grega e criou um vocabulário filosófico em Latim, distinguindo-se como um linguista, tradutor, e filósofo. Um orador impressionante e um advogado de sucesso, Cícero provavelmente pensava que a sua carreira política era a sua maior façanha. Hoje em dia, ele é apreciado principalmente pelo seu humanismo e trabalhos filosóficos e políticos. A sua correspondência, muita da qual é dirigida ao seu amigo Ático, é especialmente influente, introduzindo a arte de cartas refinadas à cultura Europeia. Cornelius Nepos, o biógrafo de Ático do século I a.C., comentou que as cartas de Cícero continham tal riqueza de detalhes "sobre as inclinações de homens importantes, as falhas dos generais, e as revoluções no governo" que os seus leitores tinham pouca necessidade de uma história do período.[1]
Durante a segunda metade caótica do século I a.C., marcada pelas guerras civis e pela ditadura de Júlio César, Cícero patrocinou um retorno ao governo republicano tradicional. Contudo, a sua carreira como estadista foi marcada por inconsistências e uma tendência para mudar a sua posição em resposta a mudanças no clima político. A sua indecisão pode ser atribuída à sua personalidade sensível e impressionável: era propenso a reagir de modo exagerado sempre que haviam mudanças políticas e privadas. "Oxalá que ele pudesse aguentar a prosperidade com mais auto-controlo e a adversidade com mais firmeza!" escreveu C. Asínio Pólio, um estadista e historiador Romano seu contemporâneo.
//


2 comentários:

Higorca Gomez Carrasco disse...

"Lo mismo e igual que los politicos actuales" Claro que estos no tienen nada "claro" que es lo que quieren, lamentable y muy buen comentario, excelente.

Un saludo

Higorca

Jeová Nunes disse...

Dos cinco princípios colocados por Cícero, apenas o que fala do reaprender a trabalhar não se enquadra na lógica do desastre de uma nação. Hoje como antes, a teoria e o pensamento filosófico norteiam as mentes dos dirigentes mas, é o trabalho imenso e mau remunerado de todos os povos, que mantém acesa a chama dessas nações.
Um grande abraço, Jeová.

Counter II

Counter