quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Partir e Chegar, eis a questão.!!!!

Chegar, voltar, implica rever o que foi deixado antes da partida. Voltar a um lugar, não é o mesmo que voltar a alguém, a um ambiente, a um grupo. Há necessidade de um período de readaptação, de um reajustamento de velocidades do espírito e do corpo. Voltar será mais dificil do que...chegar??? Chegar, não será mais simples se despido da emoção do que se vai encontrar??? Chegar será, em rigor, terminar uma viagem, acabar uma rota, findar uma tarefa. Mas, se chegar implica um local onde já se esteve antes, seá, simplesmente, chegar fisicamente? Chegar, descer no terminal do comboio, nas Chegadas dos aeroportos. Chegar tem mais força do que ir para? Ou menos? Será mais, ir a ?
Pessoalmente, prefiro partir do que chegar. Partir tem sempre algo de imprevisto, de indefinido, de aventura. Chegar é mais concreto. Talvez mais exacto. O que existe entre o partir e o chegar é que é o grande desafio. Partir tem um ponto de....partida. Chegar tem um ponto de.... chegada. Mas, no meio, entre os dois, o que há???
Quando chego, quem me recebe não teve a minha partida. Quando parto, quem se despede de mim, não terá a minha chegada. Pelo meio, o percurso foi só meu? Se calhar a viagem não é somente ir de um ponto a outro mas sim ir de um ponto ao outro e regressar ao primeiro. Aí, então, quem se despediu, recebeu-me e, quem me recebeu, despediu-se.  Alguém ganhou, alguém perdeu.
Não é disso que a vida é feita????

4 comentários:

Pitigrili disse...

Nem a partida, nem a chegada são importantes.
O importante é a viagem - não +e a vida uma viagem?
O que ficou é história, sempre distorcida pela memória.
O que está para a frente é inescrutável e nunca será como antevemos.
Como disse Horácio, carpe diem, quam minimum credula postero. Ou os versos completos:
Quer Jupiter te tenha destinado mais invernos ou este seja o último
Que mesmo agora está a empurrar o Mar Tirreno contra as rochas em frente
- Sê sábio, coa o vinho, e diminui as tuas esperanças
Para um período de tempo menor. Enquanto conversamos, o tempo invejoso já se escoou
Aproveita o dia, confiando o menos possível no seguinte.

Higorca Gomez Carrasco disse...

Llega a un lugar y luego... partir sin mirar atrás, llevándose siempre el buen sabor, ese sabor a miel, dulce, quedo, sin pensar nunca que ya no se volverá, eso no se sabe hasta el momento de la partida, luego se vuelve a empezar, la ida, es la llegada al lugar del que se tiene que partir, lo del medio es el disfrutar, la miel, la esperanza, el amor a los demás, a todos aquellos que quedaron y que están hay, esperando esa vuelta sin pensar en el partir.
Abrazos Helder y bienvenido de nuevo

Amor de Fatima Mateus disse...

a vida é toda ela a vida.
"Partir tem sempre algo de imprevisto, de indefinido, de aventurara"...eu digo que chega repousa...e quem parte se despoja...leva a alma vazia que se enchendo novamente do tudo que a viagem lhe der...e tudo até ao minuto da chegada é aventura, é ansia, é indefinição.
Quem parte se nutre, se engradece e ao chegar, traz a alma carregada e junta memorias e se faz grande.


essa vida é uma viagem com esse Que de misterio, para cada amanhecer a aventura, e a cada anoitecer, o repouso, a chegada.

Um abraço amigo....muita XAUDADE!

marita faini adonnino disse...

¡Ay, ay, ay...me parece que estoy ante el Hamlet de los viajes...
Quienes te conocen, es seguro que saben que te gusta más la partida que la llegada.pero no te olvides que detrás de cada llegada hay una partida.y al final de cada partida, irremediablemente, hay una llegada.
Partir, sin considerar las personas, claro, tiene su encanto, su hechizo.Se abren nuevas situaciones, espectativas, prometedoras. Pero cuando se parte, alguien queda,a alguien dejamos.Y no es fácil.
En mi tierra hay un cantar "dicen que no son tristes las despedidas/ diganle al que lo dice, que se despida" .
Y llegar...bueno...si nos hemos alejado por un tiempo, ya no somos los mismos.Algo traemos de "allá" que desentona un poco con lo de "aquí".
Pero estamos sufriendo un continuo cambio en la vida.no somos hoy los que fuimos ayer.disfrutemos volver a los lugares queridos y a la compañía de los que queremos.
y no te preocupes del To be or no to be del "ir" o del "llegar",vive la situación a tu manera .

marita faini adonnino-Argentina

Counter II

Counter